Star Wars Battlefront Review – Rico em detalhes, pouca inspiração


swbf_facebook_share

Fazia muito tempo que os fãs de Star Wars aguardavam um novo jogo da saga, já que uma boa parte dos jogos mais recentes decepcionou. E os fãs de Battlefront mais especificamente, já estavam sedentos por uma continuação, considerando o tempo que não saía um novo título da franquia.

Para estes fãs, Battlefront da EA é um jogo a altura?

Resposta curta: Não. Mas tem potencial.


O texto introdutório talvez seja um pouco direto demais e parece uma opinião baseada na emoção, mas é necessário pra quebrar um pouco do hype que foi criado em cima desse jogo, eu mesmo acabei entrando na onda, então vamos lá.

Battlefront é, na melhor das hipóteses um divertido jogo de tiro. A DICE fez um grande trabalho na reconstrução dos ambientes que tornaram a saga épica. Endor, Sullust, Tatooine e Hoth compões os 4 planetas onde estão os mapas do jogo.

O detalhamento artístico é sem precedentes, Endor com certeza é o que mais atrai pela exuberante natureza, um verde de enxer os olhos que imediatamente remete o jogador à cenas com Ewoks do filme. E sim, também tem Ewoks pelo mapa.

O melhor e mais divertido de controlar (UPDATE: Após uma atualização do jogo, Boba Fett não faz nem cócegas mais)

O game comporta até 40 jogadores simultaneamente, os mapas acomodam perfeitamente esse número de jogadores, você pode controlar 6 personagens principais da saga, Han Solo, Luke Skywalker, Leia Organa no lado rebelde, e no lado do império temos Boba Fett, sendo um dos mais divertidos de se jogar, Imperador Palpatine e Darth Vader.

Um dos principais momentos do jogo é quando você consegue encontrar o power-up que te permite jogar com um dos heróis ou vilões. Quando um deles está presente no jogo rende cenas épicas e hilárias, já que uma vez que os heróis são avistados os jogadores começam a correr na direção oposta, fugindo desesperadamente para escapar da morte certa.

Ao mesmo tempo, caças Tie Fighter e X-Wings duelam nos céus, por vezes dando rasantes enquanto disparam seus canhões com os traçantes atravessando o campo de batalha. Isso quando não se jogam contra as montanhas de Tatooine ou simplesmente vão de cara ao chão. Existem os momentos engraçados e tudo lembra genuinamente Star Wars.

battlefront1

Os modos de jogo oferecem formas diferentes de experenciarmos esses diferentes cenários. O modo Walker Assault coloca 40 jogadores em um mapa onde o Império deve fazer de tudo pra impedir que os Rebeldes destruam os AT-AT (walkers), enquanto no modo Supremacy a luta é por pontos de controle que devem ser capturados em sequências, que frequentemente resulta em combates frontais e pontos de choque.

Alguns grandes momentos podem ser vividos nos modos Heroes vs Villains que colocam os 3 heróis do jogo contra os 3 vilões em batalhas 6×6, onde as habilidades são postas a prova e a estratégia e trabalho em equipe são fundamentais, ou ainda no modo Hero Hunt, onde vários jogadores caçam 1 personagem herói, que deve lutar desesperadamente para eliminar o maior número de inimigos possível antes que seja derrotado.

Engana-se quem acha que este é um shooter sério, você vai ver Boba Fett em Hoth e todo tipo de coisa bizarra, como soldados sendo arremessados ao ar e naves se explodindo ao chão com frequência. Até mesmo emotes existem no jogo para debochar do seu adversário ou simplesmente fazer graça. Deve-se ver o jogo com um dos universos possíveis de Star Wars, Jar Jar Binks que o diga.

battlefront3

O jogo, no entanto, tem suas deficiências, e a principal delas é não conseguir manter a expressão da facinação que as primeiras horas do jogo proporcionam. É aí que começa aparecer a principal faceta do jogo, e você se dá conta de que Battlefront é um jogo LIMITADO.

Os grandes momentos são poucos e na maior parte podem ser ignorados. O jogo possui um número grande de modos de jogo, são 9 ao todo. Porém, tirando Supremacy e Walker Assault, os demais são o onipresente team-deathmatch, em diferentes sabores. Nada além de pequenos objetivos a serem conquistados com muito tiroteio. Divertido? Somente durante durante as primeiras partidas, logo fica cansativo considerando a simplicidade do combate de infantaria. Em suma, nada que favoreça e ou que explore o universo criado por George Lucas.

O combate de infantaria, é por sinal, o principal foco do jogo, no momento são apenas 11 armas, que variam no dano, alcance e repetição dos tiros. As armas em geral parecem muito repetidas, não existe nenhuma que chame a atenção ou se destaque. Infelizmente o jogador começa com poucas armas inicialmente e desbloquear os itens mais legais demora bastante. No momento estou no nível 25 e 19 horas de jogo e não vejo mais nada de interessante pra desbloquear, ainda que me restem 2 armas e algumas star cards pra liberar.

battlefront2

Os veículos são poucos, o principal deles é o AT-ST do império, que realmente faz um estrago danado e é capaz de reprimir os Rebeldes se bem utilizado, outro veículo é o speeder bike, que eu esperava poder usar em perseguições alucinantes por Endor mas minhas expectativas foram frustradas, já que o mapa não oferece nem espaço pra pilotar. Os caças tem uma mecânica de voo simples e desengonçada, além de terem pouca ou nenhuma influência no decorrer de uma partida.

É muito fácil travar a mira nos outros caças e frequentemente você é destruído sem ter ideia de que havia um inimigo te perseguindo, um tanto pela latência do jogo e um tanto porque a mira trava muito rápido e poucos tiros destroem o seu caça, o que frustra o sonho de voar nessas naves icônicas. O modo Fighter Squadron é dedicado ao combate somente com naves, é um dos modos que oferece bastante diversão, mas que peca na execução pela falta de mais objetivos, esse modo não oferece uma experiência de um deathmatch aéreo com eventuais naves de transporte pra serem destruídas.

No papel parece muito, mas o jogo tem pouco a oferecer, tirando os divertidos momentos que você consegue ter controlando um dos personagens heróis, ou nos frustrantes momentos em que um deles te elimina durante a partida, tudo que resta é um tiroteio caótico e confuso em que o jogador pode acabar sentindo tédio devido a falta de outros objetivos e as limitações em termos de liberdade nos layout dos mapas.

O fato de haverem apenas 4 mapas pra cada modo de jogo não ajuda, a única diferença é que mudam o local no planeta e o tamanho do mapa. É um número muito pequeno se considerarmos a quantidade de conteúdo que a saga tem a oferecer, outros jogos já fizeram mais com menos. Todos os locais marcantes de Star Wars estão lá, o forte em Endor, o Hangar em Hoth e o palácio de Hutt em Tatooine, porém esses ambientes logo se tornam familiares de mais.

Endor realmente se sobressai por oferecer rotas verticais e alguns caminhos alternativos, enquanto Tatooine espanta pela simplicidade do layout do mapa no modo Walker Assault que é muito aberto, linear e simples. Sullust tem altos e baixos, mas em geral a impressão é de ser um local mal explorado na construção. Em alguns casos, como em Hoth, algumas áreas nas montanhas são bloqueadas com paredes invisíveis, um artifício de baixo nível para a nossa época, considerando que a maior parte dos novos jogos é de mundo aberto.

battlefront endor
Esqueça perseguições em alta velocidade em Endor

Não se pode ignorar que o jogo custa CARO tanto pra quem joga no PC e principalmente pra quem joga nos consoles, se considerarmos o conteúdo oferecido. Aliás, as reclamações quanto a oferta de conteúdo não param de enxer os fóruns de Battlefront, muitos fãs se sentiram enganados por terem comprado o jogo na empolgação e terem confiado que a Dice e a EA fariam um jogo a altura dos predecessores de Battlefront. Adicione que ainda existe um Season Pass ao valor de um jogo novo R$ 100,00 e você começará a entender a irritação desses jogadores. Battlefront até aqui tem uma base sólida, um jogo completo de enxer os olhos, mas não teria feito mal adicionar um pouco mais de mapas, ainda que nos mesmos planetas, o maior exemplo de potencial perdido.

Outra reclamação dos jogadores, principalmente daqueles que vieram dos títulos anteriores, Battlefront I e Battlefront II, é a ausência de uma campanha single-player. O Battlefront não oferece um modo campanha, apenas algumas missões que servem mais como aprendizado do jogo, mas que não são dignas de menção. Battlefront é um jogo multiplayer, portanto não espere que a EA avance nessa questão do Singleplayer no título atual, a melhor chance é esperar pela sequência, já que a EA adquiriu o direito de produzir games de Star Wars pelos próximos 10 anos.

A maior preocupação nesse momento é se o produto que a Dice nos apresentou terá fôlego pra sobreviver pelos próximos meses.

Vale a pena jogar? Sim, mas por esse preço, não!

O bom: Vivenciar batalhas no universo de Star Wars e poder controlar seus personagens favoritos destroçando os inimigos.

O ruim: Pouco conteúdo, vida do jogo ao longo termo é duvidosa, repetitivo.

Anúncios